18 outubro 2014

"Agora, o Sínodo da Igreja universal deve continuar"


Este dia final do Sínodo Extraordinário iniciou um processo há muito desejado de diálogo amplo e aberto em toda a Igreja. Este processo não pode ser interrompido.

O Movimento Internacional Nós Somos Igreja apoia todos os esforços para continuar este diálogo em toda a Igreja mundial, até ao debate no Sínodo de  outubro de 2015. Ao contrário do Sínodo atual, o de 2015 deve anunciar a plena aplicação das ciências teológicas e a participação ativa dos fiéis. Só então poderão ser encontradas respotas informadas e realistas para as muitas questões prementes que persistem.

Já é tempo de os fundamentos da doutrina sexual da Igreja serem desenvolvidos de acordo com a ciência moderna. Isto deve levar, e vai levar, a um abandono das doutrinas incorretas ou desatualizadas e ao desenvolvimento da doutrina.

Acreditamos na importância dos seguintes pontos:
  • Um regresso à primazia da consciência individual (cardeal John Henry Newman),
  • Uma visão nova e holística da sexualidade, possibilitando uma abordagem razoável às questões da homossexualidade e parcerias homossexuais,
  • Uma interpretação inspiradora dos textos bíblicos relevantes e da mensagem de Jesus,
  • uma compreensão sofisticada do casamento como um sacramento, seguindo o concílio de Trento
O Movimento Internacional Nós Somos Igreja espera ainda que que a  discussão subsequente entre os bispos, em 2015, possa produzir:
  • Um novo acolhimento aos divorciados e casais recasados, seguindo o exemplo das Igrejas Ortodoxas e dos bispos do Alto Reno, tornado público em 1993,
  • Uma postura ativa por parte da Igreja Católica Romana contra a criminalização dos homossexuais, que são perseguidos em muitos países, chegando mesmo a incorrer em pena de morte,
  • Uma visão do casamento e das diversas formas de família como comunidades de vida, que assumem a responsabilidade no amor e na solidariedade,
  • Apoio, especialmente para as famílias que têm de viver, por razões sociais ou políticas, em condições muito degradadas.
Após anos de supressão de diálogo na igreja local, o papa Francisco deu um passo notável ao pedir a todos os membros da Igreja para responder ao questionário pré-sinodal. O "Instrumentum Laboris" oferece uma visão global que é impossível de ignorar.

A beatificação do Papa Paulo VI, a ter lugar no último dia do Sínodo, reconhece o seu grande trabalho na abertura da Igreja ao mundo e a continuidade que deu ao trabalho do Concílio Vaticano II, convocado pelo seu predecessor. No entanto, ele também estabeleceu doutrina sobre questões matrimoniais e sexuais tendo em conta a política da Igreja e ignorando a grande maioria dos votos da Comissão de Controle de Nascimento convocada por ele. Em 1998, a Encíclica "Humanae Vitae" resultou em grande perda de credibilidade para a Igreja como instituição e para a sua doutrina sobre a sexualidade humana. Isso não deve continuar após este Sínodo.

CONTACTOS EM ROMA:
Christian Weisner, cell phone: + 49-172-5 18 40 82, media@we-are-church.org


CONTACTOS NA AUSTRIA:
Dr. Martha Heizer, Chair of International Movement We are Church
cell phone: +43 650 4168500, martha.heizer@inode.at

Sem comentários:

Publicar um comentário