06 julho 2017

Comunicado de imprensa do Nós Somos Igreja Internacional sobre a nomeação do Cardeal Luis Ladaria como novo Prefeito da Congregação para a Doutrina da Igreja (CDF)

Uma mudança na CDF significa uma importante oportunidade de reorientação
Nós Somos Igreja Internacional saúda a nomeação do Cardeal Luis Ladaria como novo Prefeito da Congregação para a Doutrina da Igreja  (CDF) esperando que introduza transparência, justiça e compaixão na CDF. A decisão de uma mudança no topo da CDF também é vista como um progresso na reforma da cúria.
Contudo, Nós Somos Igreja Internacional afirma: “A cúria do Vaticano dedica demasiada energia na protecção e manutenção do poder institucional. Esta situação só será alterada quando houver um total empenhamento dos leigos e especialmente das mulheres na igreja e na sua missão. É essencial e urgente uma mudança radical na nossa Igreja.”
Nós Somos Igreja Internacional apela ao novo prefeito para que anule todas as sanções contra teólogos como sinal de uma nova era de justiça na Igreja e que abra e apoie um intercâmbio vivo nas posições teológicas sem restrição de pensamento.
Nós Somos Igreja Internacional apelou para a substituição do Cardeal Müller do cargo de Chefe da Congregação para a Doutrina da Igreja (CDF) em 6 de Março de 2017. O Cardeal Müller apoia a cúria conservadora que luta para manter o poder e controle e que estão a bloquear as reformas do Papa Francisco no sentido de tornar a nossa igreja mais compatível com a imagem de Cristo.
O Cardeal Müller:
·         Recusou o pedido feito pela Comissão de Abuso Pontifício para que todas as cartas dos sobreviventes obtivessem uma resposta
·         Recusou permitir que fosse criado um tribunal para investigar e censurar bispos relativamente a abusos sexuais
·         Recusou mudar os processos que utiliza na investigação de padres e religiosos, que são injustos e estão em colisão com o curso normal da justiça
·         Recusou apoiar as mudanças para pessoas divorciadas e que voltaram a casar pudessem comungar/recebessem a Comunhão, de acordo com a  encíclica do Papa Francisco, Amoris Laetitia.


Sigrid Grabmeier, Coordenadora de Nós Somos Igreja Internacional, disse: "É lógico que o Papa Francisco não prorrogue o prazo de cinco anos de nomeação do Cardeal Gerhard Muller. O Cardeal Müller tem-se posicionado repetidamente como se fosse professor do Papa através dos seus ensinamentos e interpretações do Papado, mais recentemente no seu livro «O Papa». Uma mudança na CDF representa igualmente uma valiosa oportunidade para a importante tarefa de perseguição da violência sexual por parte dos padres."

Sem comentários:

Publicar um comentário